Home recolocação profissionalVeja cinco dicas para fugir da fila do desemprego
Veja cinco dicas para fugir da fila do desemprego

Veja cinco dicas para fugir da fila do desemprego

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dentro da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, mostram que a fila do desemprego está aumentando no Brasil.

“Antes o país vivia um apagão de talentos, agora estamos de um apagão de vagas”, compara o consultor de carreira Rafael Souto, CEO da Produtive.

Principais realizações que devem ser destacadas durante entrevista de emprego. Foto: Pixabay

Segundo Souto, em média, um profissional em transição no mercado de trabalho, leva pelo menos seis meses para conseguir uma nova colocação, mas algumas medidas podem ajudar a reduzir esse tempo na fila do desemprego.

Veja cinco dicas para sair da fila do desemprego

1- Estabeleça uma estratégia

É comum o recém-desempregado começar a mandar currículos para todas as vagas que encontra, independente do cargo. Isso é um erro estratégico, segundo o consultor. “O mercado não contrata para resolver o problema da pessoa, e sim da empresa. Ele precisa ter segurança de quais são suas competências”, aconselha Souto. Pense nos seus resultados concretos na sua área de atuação e foque em vagas que estejam de acordo com suas competências.

2- Não seja passivo

Quem está em busca de novas oportunidades precisa se mexer, não pode ficar esperando. É o momento de acionar a rede de contatos e procurar ampliar essa rede. “A pessoa não pode transferir para o mercado a responsabilidade de conseguir um emprego, precisa ter uma postura ativa”, destaca o consultor. Quanto mais relações, mais chances a pessoa tem até mesmo de mudar de área. Embora não seja o momento ideal para uma mudança, contatos ajudam a acelerar o processo.

3- Esteja preparado para entrevistas

Quem está na fila do desemprego, muitas vezes, preocupa-se em enviar currículos e procurar vagas em agências de emprego, mas esquece da entrevista. Conforme Souto, é comum, depois, a pessoa lembrar que poderia ter dito outra coisa, mas aí já é tarde. “Não é decorar um texto, que vai ficar parecendo artificial, mas montar uma narrativa com as principais realizações que devem ser destacadas diante do entrevistador”, frisa o especialista.

4- Cuidado com as redes sociais

Redes sociais profissionais, como o LinkedIn, têm sido cada vez mais relevantes na contratação de profissionais. Por isso, é importante aproveitar este canal, montando um bom perfil, com informações relevantes sobre sua carreira. “Facebook, Instagram e outras redes consideradas pessoais acabaram invadindo também o mundo profissional, então muito cuidado com esses perfis”, aconselha Souto. Fotos comprometedoras e comentários preconceituosos, por exemplo, podem afastar o interesse de empregadores.

5- Invista na formação

A experiência concreta de um profissional conta mais do que a formação, mas o mercado também olha para o potencial do candidato. Principalmente trabalhadores em início de carreira precisam destacar suas realizações em cursos e estágios para que a empresa reconheça seu potencial. Formações complementares também podem ser diferenciais.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *